18.9.13

PROJETO CACHINHOS DOURADOS E OS TRÊS URSINHOS


Projeto
CachinhosDourados
e osTresUrsinhos



Complete as Partes do Rosto da Cachinhos Dourados com as fichinhas:

Sequência Didática

Gênero: Contos de Fada

Objetivo do Projeto: 
         Desenvolver o prazer pela leitura, apreciando as histórias, compreendendo seu enredo, identificando personagens, memorizando as histórias e ampliando o vocabulário nela  envolvido e assumindo o desafio de tornarem-se contadoras de histórias para os pais. A apresentação dos livros, a percepção de que os livros trazem histórias, informações e conhecimentos, e que estimulam a imaginação e o incentivo à leitura.

Ano: 2011
Tempo estimado: 12 aulas

O que o aluno poderá aprender no Atelê das Letras

Ouvir a leitura da História em várias versões
Interpretação oral da história e identificação das características dos personagens;
Identificar onde se passa a história;
Gramática: grau do substantivo;
Espaçamento: identificar os espaços entre as palavras e colorir;
Formação de palavras e frases;
Caça-palavras;
Identificar se as afirmações são verdadeiras ou falsas,
Conhecer e usar palavras de cortesia;
Palavras cruzadas;
Participar de momentos de interação e integração;
Desenvolver a observação;
Expressar-se por meio da expressão facial.

Sistematização metacognitiva e metalinguística
Planejamento das atividades
Contar a hisória em várias versões ( varal, livro, texto, ilustrações)
Ouvir a música da Cachinhos Dourados
Manuseio dos fantoches pelas crianças

  
Contando uma história com sons:
Era uma vez, uma família de ursos: o Pai Urso(som na sacola de papel), a Mãe Urso(som de batida na mesa com fórmica) e o Pequeno Urso(som de tilintar na xícara de café). Os três moravam numa bela casinha, bem no meio da floresta (som com folhas secas e sacos plásticos para fazer a floresta).
O Papai Urso, o maior dos três, era também o mais forte e tinha uma voz bem grossa. A Mamãe Urso era um pouco menor, delicada e tinha uma voz meiga. O Pequeno Urso era o menorzinho e sua voz era fininha.
Certa manhã (som como se fosse galo cantando numa lata com um barbante parafinado), ao se levantarem, Mamãe Urso fez um delicioso mingau.
Porém, o mingau estava muito quente (batida de uma colher num prato fundo, como se estivesse fazendo omelete e esfriando o mingau).
Sendo assim, mamãe Urso propôs que fossem dar uma voltinha junta pela floresta, enquanto o mingau esfriava.
E assim fizeram. Mamãe Urso deixou o mingau em suas tigelinhas, esfriando em cima da mesa e os três ursos saíram pela floresta (som dos passos na mesa de madeira do professor, sem fórmica, com os dedos, como pessoas andando e das folhas secas e do saco plástico também).
Enquanto eles estavam fora, apareceu por ali uma menina de cabelos loiros cacheados, era conhecida como Cachinhos Dourados (reproduzir o som do pires da xícara de café e os passos na floresta).
Ela morava do outro lado da floresta, e tinha o mau hábito de sair de casa sem avisar seus pais.
Quando se aproximou da casinha dos ursos, já muito cansada de tanto andar (fazer a respiração profunda de cansaço), resolveu bater na porta (batida forte na mesa).
Bateu, bateu, mas ninguém respondeu. Assim, ao perceber que a porta estava apenas encostada, resolveu entrar (som da porta abrindo, rangendo gravada)
Ao entrar, viu na mesa as três tigelinhas de mingau.
Como estava com muita fome, e não viu ninguém na casa, resolveu provar a iguaria (som de huuuummmmm…) e inspirar profundamente para perceber o cheiro do mingau.
Provou, então, o mingau da tigela maior, mas achou-o muito quente (fazer som com a boca de que está quente e a colher encostando no prato).
Provou o da tigela do meio e ainda achou-o quente (novamente som com a boca e com a colher no prato).
Provou o mingau da tigelinha menor e achou-o delicioso, não resistiu e comeu-o todo (novamente o huuummm e várias vezes com a colher no prato).
Após comer o mingau, Cachinhos Dourados foi em direção à sala (passos com os dedos na mesa de madeira).
Achou a primeira cadeira muito grande (batida forte em uma almofada) e levantou-se a seguir (novamente passos com os dedos).
Sentou-se, então, na cadeira do meio, mas achou-a desconfortável e ainda grande demais (batida menos forte na almofada).
Sentou-se na cadeirinha menor e achou-a muito confortável e num bom tamanho (batida na almofada e som de prazer, ex: ahhhhhh!!! ).
Porém, sentou-se tão desajeitadamente que a quebrou (barulho de madeira quebrando com um galho seco de árvore: “creck” e um grito).
Encontrou um quarto (passos de caminhar novamente) com três caminhas, uma grande, uma média e uma pequena.
Tentou deitar-se na cama maior, mas achou-a muito dura (batida com os dedos espalmados na mesa). Deitou-se na do meio e ainda estava um pouco dura(batida com os dedos espalmados na mesa mais devagar). Deitou-se na menor e achou-a muito boa (batida com os dedos espalmados na mesa e som de bem estar com a boca, tipo do hummm). Estava tão cansada que não resistiu e acabou pegando no sono (respiração profunda e barulho de ronco).
Enquanto ela dormia, os ursinhos voltaram do passeio(passos com os dedos dos três ursos juntos).
Estranharam a porta aberta, e logo perceberam que alguém havia estado ali.
__Alguém mexeu no meu mingau! - rosnou o Papai Urso (som de Ohhh!! Bem grave)
__Alguém comeu do meu mingau! – disse brava a Mamãe Urso (som de Ohhh! Mais fraco)
__ Alguém comeu todo o meu mingau! –gritou o Pequeno Urso (grito agudo).
Os três ursos se dirigiram para a sala (passos com os dedos). Papai Urso olhou para sua cadeira e exclamou: 
__ Alguém sentou na minha cadeira! (batida forte na almofada)
Mamãe Urso reclamou: 
__ Alguém também sentou na minha cadeira! (batida menos forte na almofada)
O Pequeno Urso, chorando, queixou-se: 
__ Alguém quebrou a minha cadeirinha! (choro e gritos bem agudos) 
Foram em direção ao quarto. (passos com os dedos)
Papai Urso olhou para sua cama e perguntou:
__ Quem deitou na minha cama? (batida forte com os dedos espalmados na mesa)
Mamãe Urso olhou para sua cama e disse: 
__Alguém esteve deitado na minha cama e deixou-a bagunçada! (batida menos forte com os dedos espalmados na mesa)
O Pequeno Urso, muito bravo, gritou: 
__Alguém está deitado na minha caminha! (Gritos agudos de supresa e espanto)
Cachinhos Dourados acordou com o grito de Pequeno Urso.
Ficou muito assustada ao ver os três ursos bravos olhando para ela. (Novamente gritos com timbre agudo, de surpresa e espanto, como voz de menininha)
Seu susto foi tão grande que em um só pulo saiu da cama e já estava descendo as escadas. Mal deu tempo para que os ursos piscassem os olhos. Num segundo pulo, Cachinhos Dourados saiu correndo pela floresta, rápida como o pensamento (barulhos de passos bem rápidos na mesa, no plástico, nas folhas secas, com os gritos agudos indo ao longe).
Depois desse enorme susto a menina aprendeu a lição, nunca mais saiu de casa, muito menos entrou em casa de ninguém sem ser convidada. (som de porta sendo aberta, fechada com força e um som harmonioso, tipo música de ninar, para representar o bem-estar de voltar para casa).
Os Personagens  eu confeccionei para contar a história
Oralidade:
Como eram os personagens:
Papai Ursão:
Mamãe Ursa:
Ursinho:
Os personagens da história são pessoas ou animais? Domésticos ou silvestres?

Eles eram uma família ou apenas tinham tamanhos diferentes?

Como era a cadeira de cada um deles?

Como era o prato de cada um deles?

Como era a cama de cada um deles?

Que  palavras que estão no texto no grau: normal, diminutivo e aumentativo:

O que você acha da atitude Cachinhos de Ouro no final da história?

Podemos entrar sem sermos convidados na casa das pessoas?

Qual a palavra de cortesia que ela deveria ter dito quando acordou?

Que outras palavras de cortesia você conhece e usa?

É uma história urbana ou rural? Por quê?

Mude este final:
Com esse barulho todo, Cachinhos de Ouro acordou assustada. Olhou para cada um dos ursos e saiu correndo. Até se esqueceu de pedir desculpas.

História européia de 1837 tem 174 anos.
Recorte de revista o nome da menina e cole:



Leitura do conto de varal
NOME: ____________________________________________________
DATA: _____________          PROFESSORA: _______________________
Objetivo: utilizar conhecimentos prévios acerca do conto ‘Cachinhos Dourados’ produzir um texto.

RE-ESCRITA DO CONTO CACHINHOS DOURADOS

UTILIZE  INFORMAÇÕES  QUE  VOCÊ  JÁ  TEM  SOBRE  O  CONTO  ‘CACHINHOS  DOURADOS’  E  OS  DESENHOS  ABAIXO  PARA  ESCREVER  A  HISTÓRIA.  ANTES  DE  COMEÇAR  SUA  ESCRITA,  NUMERE  OS  QUADRINHOS  NA  SEQUÊNCIA  CORRETA EM QUE ACONTECEM:

 








 








_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________










Use a criatividade e invente um sonho para Cachinhos Dourados:

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Ditado de palavras e colorido
 
 
Localize no desenho, escreva o nome e contorne na cor que professora disser:
Árvore-verde
Céu azul
Nuvem-branca
Telhado-marrom
Casa-amarela
Avental-laranja
Mamãe ursa-amarelo queimado
Colete-marrom
Papai urso-bordô
Bebê urso-rosa
Chão- marrom

Leitura do livro varal, ditados





Recortar e Colar palavrinhas com ch:

Complete as frases usando o desenho:


Os ursinhos moravam numa......................................... na .............................................
A ................................................ do ....................................... quebrou a perna.
A .................................... do papai era dura.
O ....................................... estava quente.
Quando estou com fome eu quero .........................................


Escreva o nome das partes indicadas:


INFORMAÇÕES URSO PANDA:
·                 Os pandas vivem nas florestas da regiões montanhosas do sudeste da China 
·                 Vivem em cavernas e no oco de árvores
·                 Apesar de serem carnívoros, alimentam-se principalmente de folhas e brotos de bambu. Comem também alguns insetos e ovos como fontes de proteínas
·                 Possuem um comportamento dócil, tranquilo e tímido. São raros os casos em que um urso panda atacou um ser humano.
·                 São também chamados de: urso felino, urso de faixa e gato ursino
·                 Ao contrário de outras espécies de ursos, os pandas não hibernam durante o inverso
·                 Durante a fase da primavera ocorre o acasalamento, sendo que os filhotes, geralmente dois, nascem na época do inverno
·                 As patas do urso panda possuem cinco dedos
·                 Os filhotes de urso panda nascem com, aproximadamente, 2 kilos de peso
·                 Possuem dentes e mandíbulas muito fortes para poderem triturar os brotos de bambu
·                 Em média um urso panda vive durante 12 anos
·                 Esta espécie encontra-se em situação de extinção provocada, principalmente, pela baixa taxa de natalidade, caça indiscriminada (no passado) e pela destruição das florestas onde vivem. A reprodução em cativeiro ocorre em diversos zoológicos e centros de pesquisa animal espalhados pelo mundo

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS
:
Comprimento: 1. 5 metro em média
Gestação: 7 a 9 meses
Cor: preto e branco
Peso: pode chegar a 150 kilos.
Delícia de Banana
·                     Ingredientes
4 bananas dágua fatiadas
1/2 xícara de chá de açúcar com canela
1 l de leite
5 colheres de sopa de amido de milho
3 gemas
3 claras

Em um refratário, coloque as bananas fatiadas, polvilhe com o açúcar com canela e reserve
Prepare um mingau com o leite, o amido de milho e as gemas
Despeje o mingau sobre as bananas fatiadas
Bata as claras em neve, acrescentando açúcar até formar um suspiro e despeje em cima do mingau
Leve ao forno até que doure o suspiro
Após esfriar leve para geladeira

Fazendo  Arte
Caixa dos Sentimentos
Primeiro Momento:
Em roda, faça uma a brincadeira da Ginástica Facial. É o seguinte, com o comando do professor, as crianças deverão fazer ginástica com o rosto. Há várias possibilidades: jogar beijinhos; soltar sons de estouro – Pum! Bum! Pá!; encher as bochechas de ar só de um lado, depois do outro lado, encher toda a boca; fazer caretas usando a boca, para os lados, fazer bico, abrir a boca, sorrir de lábios fechados, sorrir de lábios abertos; soprar: fazer ventinhos na palma da mão; fazer barulho de spray: tss, tss, tss, tss, tss; abrir e fechar a boca mostrando os dentes; com os lábios relaxados fazer brrrrrrr (som do carrinho); com a língua no céu da boca, fazer trrrrrrrrrrrr; criar exercícios sonoros com as vogais : aaaaaaaaaaaaaaaa, eeeeeeeeeeeeeee, iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, ooooooooooooooo, uuuuuuuuuuuuuuuu; piscar os dois olhos, piscar o olho direito e depois o esquerdo; franzir a testa. Expressões de sentimentos como alegria, tristeza, dor, raiva, etc.   O professor não precisa fazer todos de uma só vez. Coloquei várias possibilidades que poderão ser contempladas em diferentes momentos.   
Segundo Momento:
Construa um Jogo da memória com expressões – dois pares de cada: alegria, tristeza, raiva, dor, susto, medo, criança jogando beijo, criança fazendo careta, criança franzindo a testa, etc. Lembre-se que o número de cartas deve ser igual ao número de crianças na sala. Leve o jogo para sala e jogue na rodinha. Pode-se organizar as turmas em dois grupos em que um grupo joga e o outro assiste. Depois pode ser feita o contrário, quem assistiu joga e quem jogou assiste. Ao final do jogo, cada criança pega uma carta. Proponha uma brincadeira em que terão de encontrar seus pares. Ao se agruparem de acordo com a expressão tirada, todos se sentam. Cada dupla fará a mímica da expressão da carta e as outras crianças terão que dizer qual a expressão está sendo representada. É muito divertido!   
Terceiro Momento:   
Proponha uma atividade para continuar desenvolvendo o senso de observação e a atenção das crianças. O nome da brincadeira é “Onde mudou?”. Para isso leve para a sala vários acessórios, como brincos grandes, colares, gravatas, chapéus, pulseiras, relógios, etc. Escolha uma criança  e peça-lhe que escolha alguns dos acessórios e use-os. Peças às outras crianças que observem a criança escolhida: como está vestida, o que está usando que não é habitual, etc. A criança que usou os acessórios deverá sair da sala e retirar ou acrescentar outro acessório. Por exemplo, tirar um colar ou uma pulseira. Ao voltar para a sala, as crianças deverão observá-la e descobrir o que foi retirado ou acrescentado. Vá alternando as crianças até que todas participem da brincadeira.   
Quarto Momento:
 Por fim, para que a integração continue ocorrendo, proponha uma brincadeira em que as crianças terão que utilizar o toque, o cuidado e a afetividade entre si. É a chamada brincadeira  “O Urso”. A brincadeira é simples, embora complexas são as motivações, justificativas e objetivos da atividade. Você pode iniciar contando uma história de urso ou pode contar a história após a brincadeira – Sugestão: “Cachinhos Dourados e os Três Ursinhos”. Na brincadeira, dentro do objetivo supracitado, você (professora) é o urso, que vai dormir na caverna e as crianças previamente orientadas (quanto a não machucar o 'urso", não chutar, não bater - a gente não acorda alguém com desrespeito, etc, etc) deverão tentar acordá-la. O urso, grandalhão que é, não acorda de repente, mas cada vez que vira pra cá e pra lá, aumenta o barulho do ronco. Até que depois de uma sucessão de estímulos o urso acorda e tenta capturar aqueles que ousaram despertá-lo da hibernação. Você pode definir com eles que quem é pego vira urso em seguida, ou quem você pega é levado para caverna. Neste caso, você tem a opção de deixá-los lá até o final da brincadeira (para depois eles descreverem a caverna por exemplo) ou poderá deixá-los ser 'salvos" pelos colegas no decorrer da brincadeira.   
 2) eleja bem o espaço de fuga, crianças podem se atropelar, converse sobre isto também!   Esta brincadeira é uma variação de outra homônima citada por João Batista Freire no livro "Educação Física de Corpo Inteiro".  Nessa brincadeira a preocupação das crianças com os cuidados para não machucar o "urso" dormindo começa com a orientação do professor, porém na medida em que brincam, esses cuidados se tornam autônomos entre as crianças.
Curiosidades “Cachinhos dourados e os Três Ursos” é uma história muito popular no mundo inteiro, teve sua origem no folclore europeu. Sua primeira versão publicada, ocorreu em 1837 pelo poeta Robert Southey em seu livro “ Os Doutores”. Nesta, os três ursos têm a casa invadida por uma senhora, e não por Cachinhos Dourados. Desde então, a história ganhou inúmeras versões,
Outra sugestão é a história “Uma Babá Para os Ursinhos”. No link Uma Babá Para os Ursinhos você pode assistir a uma dramatização dessa história, feita por professoras da Educação Infantil. 

Jogo do “Morto ou vivo sonoro” – Trata-se de um jogo de percepção e
discriminação auditiva dos sons graves e agudos. Os alunos devem agachar ao ouvirem o som grave e ao identificar o som agudo, devem se levantar. Para realizar este jogo, você pode utilizar qualquer instrumento musical (dois triângulos de tamanhos diferentes, flauta de êmbolo ou piano); Variações: palhaço-cone, latinha, mola.
  
Alfaletrando
  
Atividades para trabalhar classificação e Seriação 
    Estas atividades foram sugeridas a partir das trocas efetuadas na atividade 1 do grupo 2 de matemática, partindo do entendimento de que classificação se refere ao processo pelo qual se percebem semelhanças entre objetos e se agrupam as que são parecidas enquanto a seriação se refere ao processo pelo qual as coisas são comparadas e as diferenças são ordenadas entre ela.
         Caixa Surpresa
 Não faço com formas geométricas, pois os alunos 4/5 anos, ainda não dominam a nomenclatura (quadrado, triângulo..). Coloco dentro da caixa outros objetos para que eles me digam o que sentem ao tocá-los ai pergunto sobre textura, espessura, tamanho, e eles os agrupam por semelhanças ou diferenças.
 Cachinhos Dourados

Com esta história pode-se explorar a classificação por cor, tamanho e forma. Apresentar as famílias dos três ursos com roupas em cores diferentes com potes, cadeiras e cama na cor da roupa dos personagens. As crianças pintam estes desenhos para fazer o jogo da memória.  A estrutura de seriação se dá quando a criança entende que o tamanho médio é quem fica no meio do grande e do pequeno. Explicar que a mamãe é menor que o pai, mas maior que o filho, portanto ela é intermediária entre pequeno e grande. Após a contação da história e exploração de tamanhos dos alunos um em relação ao outro (quem é pequeno, quem é grande) depois em trio quem é o médio... Partir para o jogo da memória do papai e da mamãe. Na rodinha embaralhar as famílias dos cinco grupinhos aí ver como organizar as famílias, quais a diferenças e semelhanças dos ursos, quantas famílias formam. Depois disso cada equipe ganha um ursinho, portanto cada equipe será de uma cor. Então, jogar para que cada ursinho encontre sua família. Todos os pais ficam enfileirados juntos e as mães abaixo em outra fila. Cada grupo vira um personagem por vez se for compatível à cor do seu ursinho fica com a mãe ou o pai se não passa a vez.

  Atenção ao Dado.
Utilizar um dado grande com várias formas geométricas de diversos tamanhos. (uma em cada face) A criança joga o dado, observa a cor, tamanho e formato, pega uma peça igual (que está exposta no chão) e coloca em uma bandeja (terá uma bandeja para cada classe) todos observam e discutem se confere ou não. E assim sucessivamente, até todos terem participado.


Cachinhos Dourados e os Três Ursos.
 Fazer com os alunos a casinha dos três ursos de dobradura na qual eles também façam os personagens e os objetos da casa (cadeira, cama e tigela) nos tamanhos grande, médio e pequeno. Estabelecer relação entre eles, de modo a compreender a noção de seriação.

 Com Blocos Lógicos
Realizar atividades com os blocos lógicos desenvolve os conceitos de classificação e seriação, exemplos: separar os blocos por cor, por forma ou tamanho, imitar uma seqüência montada pela professora, utilizando um só atributo, solicitar da criança qual o segredo da seqüência (cor, tamanho, espessura).                                                        Outra brincadeira: Escolher peças que tenham atributos em comum e entre elas coloca uma que seja diferente. Ex: uma peça azul pequena entre outras azuis e grandes. As crianças deverão descobrir qual é a diferente.

Saco Surpresa
Colocar uma música e passar um saco de tecido com elástico na ponta, cheio de objetos variados, quando parar a música a criança que ficar com o saco na mão pegará uma peça e falará as características desta. Se errar, pode pagar prenda. A música recomeça e a brincadeira também.

Cada um no seu lugar
Uma caixa de papelão bonitinha, (pode ser enfeitada pelas crianças) vire-a com o fundo para cima e corte-a em 6 lugares, para encaixar 6 potes de iogurte. Às vezes, colocar 6 tipos de tampinhas, às vezes 6 de botões, às vezes misturar estes e outros e desafiá-los a organizarem. Lançar várias perguntas e os deixar discutirem estabelecendo critérios, observando, analisando: classificando.
*Blocos Lógicos:

Trabalhar com os blocos em diferentes cores e expessuras, solicitando que construam objetos com os blocos, registrem e após realizar uma atividade de classificação, separando as peças por cor, expessura ou forma.

*Pode-se realizar uma atividade com folhas recolhidas pelo pátio da escola:

Solicitar em pequeno passeio que as crianças recolham folhas de árvores caídas pelo chão, em sala numa roda observaremos o que foi recolhido e após podemos realizar uma atividade com textura, colocando as folhas embaixo de uma folha de ofício e passando giz de cera, teremos o desenho da folha, depois disto solicitar que em grupos separem as folhas por tamanho, ou expessura.

    A avaliação deverá ser contínua e diagnóstica, sendo considerado satisfatório o desempenho do aluno que durante o processo de trabalho desenvolva as atividades (leitura e escrita) e jogos demonstrando interesse e concentração.  É relevante ver os "erros" na escrita durante a execução das atividades de produção textual como parte do processo de construção de hipóteses.
Será observado as questões que surgem e as respostas encontradas pelos alunos.
Como as crianças estão interagindo entre si?
Está havendo respeito das diferenças?
As crianças se expressam com facilidade?

Bibliografia:

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília, MEC/SEF, 1998.

FERRAZ, Beatriz. Construindo competências para o planejamento de Projetos Didáticos e Sequências de Atividades na Educação Infantil. São Paulo, 2002 (mimeo).

“Não existe sucesso sem que nos preparemos para ele.”
“Desenvolver hábito de estudo é algo fundamental para o sucesso escolar.”
“Pesquisas mostram que as crianças de sucesso têm famílias atuantes nessa tarefa.”
Atividades criadas, copiadas e retiradas de livros e da internet

Um comentário:

Adoro ler seu comentário! Beijos!

Eu sou Lúcia Martinelli

Minha foto

Eu sou Lúcia Martinelli, nasci em 28.06. Sou filha de Cândido Martinelli e Maria Grando, estudei em Passo Fundo RS, nas escolas Alfredo Pujol, Notre Dame, Joaquim Fagundes dos Reis e Cursei o 2º grau no Colégio Bom Conselho e o ensino superior na Universidade de Passo Fundo e fiz Pós –Graduação em Alfabetização Construtivista na UPF com o GEEMPA e conclui 1989. Hoje moro em Balneário Camboriú e estou fazendo todas as leituras que gostaria de ter feito e não tinha tempo para faze-las. Estou amando!

 

Trabalhei na Faculdade de Odontologia da UPF e fui secretária e auxiliar odontológico.

Exerci a função do magistério na rede particular de ensino, no Colégio Notre Dame por onde me aposentei e na rede municipal nas escolas Vidal Colussi, Fundação Educacional do Menor, UPF em Assessoramento Construtivista, Notre Dame Municipal e Antonino Xavier, onde me aposentei. Aleluia!!!

Trabalhei em turmas pela ordem dos acontecimentos: multiseriada (de pré a 4ª série) todos na mesma sala, Jardim, Pré, 1ª série, 2ª série, 2º ano, 3ª série, 4ª série, 5ª série e 1º ano do 2º grau.

Sou professora por opção porque adoro o ato de ensinar e aprender, o convivio com as crianças sentir a mundança e o crescimento acontecendo no dia a dia, ser o elo mediador entre aluno e conhecimento desafiando e apoiando para que o processo de aprendizagem aconteça o mais rápido possível. A experiência da alfabetização é algo indiscritível, só experimentando para saber a delicia da magia que é “o ver acontecer”.

 

A educação é um processo contínuo que toma o homem sobre sua responsabilidade desde a infância até a morte.

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI
ATIVIDADES E PROJETOS