15.9.13

O CARTEIRO CHEGOU

PROJETO
 O CARTEIRO CHEGOU


Assim como todo mundo, os contos de fadas gostam de mandar e receber cartas. João, por exemplo, mal tem tempo de agradecer o gigante pelas ótimas férias que sua galinha de ovos de ouro lhe proporcionou. Cachinhos Dourados, aproveita para se desculpar com a família Urso por ter causado confusão na casa. E o que seria da bruxa sem o catálogo de ofertas do Empório da Bruxaria, que esse mês oferece uma promoção especial de mistura para torta Menino Fofo? Por isso, quando o carteiro chega é sempre uma festa, e todo mundo o convida para entrar. Mas às vezes - especialmente em caso de Lobo Mau - ele prefere recusar o chazinho e dar no pé o mais rápido possível. O livro, que é todo contado em rimas, vem cheio de cartas de verdade, postais, livrinhos e convites, com envelope e tudo.

TEMA DO PROJETO:

1- Apresentação e discussão do projeto com as crianças;
2- Rodas de leituras;
3- Leitura dos contos;
4- Produções textuais;
5- Ensaios para a socialização do projeto;
6- Apresentação;

Leitor: alunos do 2º ano (individual e em grupo)

Objetivo:

§ Conhecer a estrutura do gênero textual denominado carta;
§ Valorizar a escrita como meio de comunicação;
§ Perceber as informações mais relevantes neste gênero;
§ Listar as informações que quer transmitir ao leitor;
§ Motivar os alunos em torno de um projeto de comunicação coletivo: leitura e produção de cartas.
§ Recordar com os alunos os projetos dos contos infantis tradicionais.
§Analisar, por meio de uma aula de leitura, duas propagandas de um mesmo produto (pãezinhos de leite da Nutrela) voltadas a públicos distintos: a primeira a meninos e a segunda a meninas;
§ Refletir com as crianças, por meio do planejamento de uma aula de leitura (vide HILA 1999, para saber procedimentos de elaboração para uma aula crítica a partir de gêneros textuais) sobre: o poder da propaganda, a importância dos destinatários, os recursos visuais tendo em vista os destinatários.
§ Leitura crítica do panfleto do livro, destinado à bruxa malvada, reconhecendo seus elementos do contexto de produção.
§ Produzir uma nova carta (em grupos) a ser levada pelo carteiro para uma personagem conhecida de contos infantis, a fim de continuar o processo de intertextualidade inter-gêneros.
§ Realizar um debate oral sobre algumas possibilidades de gêneros e de situações para a carta.
§ Expor as cartas na sala.

A professora pede aos alunos para escolherem uma pessoa, da família ou não, para enviar uma carta. E importante que cada criança anote, com ajuda da família, o endereço correto do destinatário para que a professora possa encaminhar as cartas a um correio, ou se possível, ir com a turma a uma agência.
Cada criança escreve uma carta à pessoa escolhida, tendo como referência as anotações anteriores sobre a estrutura deste gênero. A professora  pede aos alunos que troquem suas cartas para verificarem se a estrutura deste gênero está correta, de acordo com as anotações  registradas.    
A professora distribui envelopes, ou pode orientá-los a produzi-los em sala. Pede que o preencham de acordo com as informações do destinatário e com as suas informações, enquanto remetentes.   
A professora elabora um bilhete com as crianças pedindo aos pais que  levem seus filhos a uma agência de correios para que juntos, enviem as cartas aos destinatários.
Outra sugestão, se possível, pedir aos pais o valor da postagem e levar as crianças a uma agência de correios para que elas possam encaminhar as suas cartas. A professora sugere que as crianças leiam as respostas dos seus destinatários, tão logo as cartas cheguem aos seus endereços. A seguir, a professora pergunta aos alunos se já ouviram falar em pombo correio. Ouve as respostas das crianças e a seguir distribui uma folha com a definição.

DURAÇÃO APROXIMADA: 12 aulas

MATERIAIS:
Livros paradidáticos, vídeo, TV, panfletos, data show, postais, encartes, lápis de cor, cartolina, caderno do aluno, lápis, borracha e quadro.

CARACTERIZAÇÃO DO TEXTO:

__Título: Quem não se comunica se trumbica
__Traços característicos:

O livro traz um trabalho de intertextualidade inter-gêneros entre contos infantis e gêneros textuais epistolares (e sua maioria) atuais, o que permite uma variedade de atividades sendo necessário que se leia os seguintes livros:

Cachinhos dourados e os três ursos;
Branca de Neve e os sete anões;
João e o pé de feijão;
Cinderela;
Chapeuzinho Vermelho.

De forma geral, o livro contém diversos contos que trazem um carteiro como personagem principal e que realiza a sua tarefa entregando cartas para destinatários que são personagens das histórias dos contos infantis tradicionais. Assim, dentro do suporte envelope, são anexados a ele, no decorrer da história, vários gêneros textuais, com diferentes propósitos.

Assim como todo mundo, os contos de fadas gostam de mandar e receber cartas. João, por exemplo, mal tem tempo de agradecer o gigante pelas ótimas férias que sua galinha de ovos de ouro lhe proporcionou. Cachinhos Dourados aproveita para se desculpar com a família Urso por ter causado confusão na casa. E o que seria da bruxa sem o catálogo de ofertas do Empório da Bruxaria, que esse mês oferece uma promoção especial de mistura para torta Menino Fofo? Por isso, quando o carteiro chega é sempre uma festa, e todo mundo o convida para entrar. Mas às vezes - especialmente em caso de Lobo Mau - ele prefere recusar o chazinho e dar no pé o mais rápido possível. O livro, que é todo contado em rimas, vem cheio de cartas de verdade, postais, livrinhos e convites, com envelope e tudo.

Na atividade O carteiro Chegou, a primeira deste projeto, é proposto que o professor explore com os alunos o que é o serviço postal, a identificação de correspondências que chegam às casas e a produção coletiva de bilhetes.
Como a escola em que trabalha fica na região rural do município de Pirapora, e lá não há caixas de correio nas casas nem carteiro, a professora inventou um jeito criativo de trabalhar com o projeto.  Ela apresentou a proposta aos alunos e perguntou se algum deles já tinha recebido uma carta, visto uma caixa de correio ou o carteiro. Eles falaram que só conheciam as caixas que existem na subprefeitura e na escola, que são caixas coletivas comuns nos ambientes rurais.  Fernanda, então, levou recortes com ilustração de caixas residenciais de correio e fotos de carteiro para os alunos conhecerem e pediu que escrevessem perguntas para o carteiro, que ela o traria para conversar com eles. As crianças adoraram a idéia. O carteiro não pode ir, mas as perguntas foram entregues a ele, que as respondeu prontamente. “As crianças ficaram muito contentes de ver suas perguntas respondidas pelo próprio carteiro, alguém que, muitos deles, nunca tinham visto na vida”, afirmou a professora.  A atividade fez tanto sucesso que Fernanda agendou uma visita ao Correio Central de São Paulo que, provavelmente, será feita no segundo semestre deste ano.


O carteiro está cheio de trabalho: chegou a época de Natal e tem tanta carta para entregar. A menina de cachinhos dourados envia um postal para os três ursinhos. A Chapeuzinho Vermelho recebe um jogo do Lobo Mau (que jura ser bonzinho agora). O Humpty-Dumpty ganha um quebra-cabeças. A Padaria Bom Pão manda um livrinho cheio de brincadeiras para o Homem-Biscoito. E só para o Papai Noel, são mais de mil cartinhas. Ufa! Mas e como é o Natal do carteiro? Descubra neste livro que tem várias brincadeiras “acopladas”.
__ O conto é um relato em prosa de fatos fictícios. A trama predominante é a narrativa, mas os contos apelam a uma descrição de personagens, lugares e incluem o dialogo direto (trama convencional)

__
a carta  deve ter as seguintes partes constitutivas: cabeçalho, introdução (com saudações), corpo da carta, despedida e assinatura;

__
cartão postal é um tipo de texto que tem por objetivo informar ao destinatário, detalhes do local em que o remetente se encontra. Itens obrigatórios no cartão postal: Nome do destinatário, endereço completo do destinatário e do remetente;

__
Panfleto é um meio de divulgação de uma ideia ou marca, feito de papel e de fácil manuseabilidade. Por seu baixo custo é muito utilizado para atingir grandes públicos em pouco tempo;



TEMAS DE REFLEXÃO METALINGUISTICA:

a)
Linguística Textual: estratégia de coesão e conectivos, parágrafos trabalhados na produção dos textos;
b)
Gramática oracional: Uso do pronome Ele e ela, uso dos artigos a, o tempo (ontem, hoje, amanhã)
c)
Ortografia: O que surgir a partir da leitura e da produção textual; 
d)
Pontuação: através dos textos produzidos na sala de aula ( virgula, ponto, interrogação, exclamação)

ETAPAS ANTERIORES:
Projetos trabalhados anteriormente
-Levantamento dos conhecimentos prévios dos alunos a respeito das histórias que serão contadas.





SEQUÊNCIA DIDÁTICA

Chegada de um carteiro com um envelope grande contendo o livro de presente;
A introdução da atividade bem como o desenvolvimento desta será baseada na tradicional história dos contos de fadas_ Cachinhos Dourados. O conhecimento e compreensão dos fatos desta história irão motivar a escrita da nossa carta.
1 - Como teremos a motivação da história_ Cachinhos Dourados, faze-se necessário que reconte esta história ou que leia de um livro, há diversos recontos desta história. Sugiro por exemplo:

Por se tratar de uma história muito conhecida, é sempre bom apresentá-la através de um autor que a reconta e que não seja conhecido pelas crianças. Desse modo, vamos estimular a observação de que o trabalho de contar, recontar se constituí da característica própria de cada autor. Contudo, as crianças devem compreender que isso, não deve significar mudança na essência da história que esta sendo recontada.

Após contar a história, explore as imagens do livro retomando a qual parte da história cada uma delas representa. Dialogue ainda sobre a atitude da personagem principal, no que diz respeito a mexer e estragar objetos que não lhe pertence. Assim, questione as crianças sobre quais seriam as possíveis formas que Cachinhos Dourados teria para tentar se redimir com a Família Urso. Pontue que, para fazer seu pedido de desculpas terá que usar um meio que requer escrita, pois na floresta não há telefone e a menina encontra-se com tanta vergonha que não terá coragem de voltar para pedir desculpas pessoalmente.

Assim você deve considerar a várias formas, como bilhete, cartão, carta. Leve em consideração, que a sugestão é para trabalhar com carta. Ok! Mas, nada impede que opte por desenvolver o trabalho com outro gênero.

Para complementar este primeiro momento sugiro o livro _ O Carteiro Chegou. Este é um belíssimo livro que apresenta como parte da história, diversas correspondências levadas por um carteiro muito simpático a diversos personagens conhecidos das crianças, como bruxas, gigantes, lobo, Cinderela e outros. A cada um destes personagens verificamos a entrega de panfleto, cartão, carta, convite e outros mais. Todo este material pode ser manuseado pelo leitor, Trata-se de uma obra a qual podemos desenvolver um belo trabalho de letramento.

Neste livro, uma das correspondências entregue é a carta de Cachinhos Dourados se desculpando com a família Urso e ainda convidando o ursinho para sua festa de aniversário. Leia esta carta para turma e, se possível, providencie uma cópia para cada criança. Confira a imagem:

 
  
Na conversa sobre esta carta, motivar as crianças a compreenderem e reconhecerem o que organiza um texto.
Isto é, devem observar que em uma carta há;

SAUDAÇÃO,
INTRODUÇÃO do assunto,
DESENVOLVIMENTO,
CONCLUSÃO,
DESPEDIDA
ASSINATURA.

É importante compreender também, que uma carta sempre é um texto que convida o leitor (quem irá recebê-la) a escrever uma resposta. Aproveite professor  para apresentar este “desafio” às crianças. Você poderá perguntar como podemos observar tais elementos citados, na carta que Cachinhos de Ouro escreveu.

2 - Motivado por estas duas histórias, você poderá solicitar às crianças que escrevam uma carta se desculpando com a família Urso. As crianças devem compreender que a carta será da Cachinhos de Ouro para família Urso. Então, as crianças “deverão se passar” pela personagem durante o processo da escrita.
No processo em que as crianças estão trabalhando as habilidades necessárias para produção de texto, é f undamental que compreendam que fazer uma revisão é algo que qualifica o resultado final da atividade. Devem entender ainda, que revisar e reescrever faz parte do processo de produção textual, e que, portanto, esta é uma tarefa desenvolvida por todo autor. Sendo assim, também na produção desta carta, devemos produzir mais de uma versão, sempre buscando melhorar a clareza e coerência do texto. Recomendo então, professor, que utilize com as crianças a orientação a seguir, para facilitar a organização das idéias a serem desenvolvidas.
Observe o modelo de estrutura que poderá orientar a organização da produção. A figura representa uma folha em tamanho A4, com as respectivas informações a serem “preenchida” pela criança.

A professora deve levar à sala de aula uma carta ou escrever uma carta para alguém e apresentá-la `a turma. A partir das cartas trazidas pela professora e alunos, analisar e anotar no quadro, em conjunto com as crianças, as características deste gênero, tendo em vista os seguintes questionamentos:
Qual a primeira informação que observamos na escrita das cartas?
Para quem escrevemos?
Então, a segunda informação deve ser o nome do destinatário para quem desejamos enviar a carta.
O que vem depois do nome do destinatário?
Depois do assunto de cada carta, o que vem?
As despedidas são iguais em todas as cartas?
Quais as possíveis despedidas de uma carta?
O que significa remetente?
E destinatário?       
Como podemos fazer chegar as correspondências aos destinatários?       
O registro deve ficar anexado na sala para consultas posteriores.
1. Podem ser enviadas até 5 cartas por remetente
2. Peso máximo das cartas é de até 10 gramas;
3. O envelope só será aceito se for manuscrito;
4. mensagem envelopada, não se admitindo utilização de envelope tipo "data-mailer", com janela, com timbre de pessoas jurídicas ou com inscrições promocionais impressas no envelope. E se você quiser pode até fabricar o envelope da carta que ele será aceito pelas agências do Correio;
5. É necessário mencionar “Carta Social” logo acima dos quadrados destinados para o CEP;
6. Franqueamento realizado por meio de selos ou estampa de máquina de franquear;
7. Não deve ser utilizado nenhum outro serviço adicional ou acessório na postagem;
8. Tanto quem receberá quanto quem enviará devem ser pessoas físicas;
9. Só pode ser enviado para território nacional;
10. Tratamento de objeto urgente.

Agora não tem mais desculpa para não enviar uma carta! A Carta Social é o serviço mais barato dos Correios, custa apenas 1 centavo!!! Se você quiser enviar uma cartinha para o De Ponta a Ponta com sugestões de temas, anote aí o endereço:

A professora pede aos alunos para escolherem uma pessoa, da família ou não, para enviar uma carta. E importante que cada criança anote, com ajuda da família, o endereço correto do destinatário para que a professora possa encaminhar as cartas a um correio, ou se possível, ir com a turma a uma agência.
Cidade, data




Saudação

1º parágrafo introdução
................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
2º parágrafo
.................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
3 parágrafo
..............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

Despedida



Assinatura


 A carta é o elemento postal mais importante, é um meio de comunicação visual, constituída por algumas folhas de papel fechadas em um envelope, que é selado e enviado ao destinatário da mensagem através do serviço dos Correios.   
1.Cachinhos Dourado ( relembrar); mingau curiosidade família

- Identificação da ideia principal e do que os alunos entenderam;

- Identificação dos personagens, lugar e tempo, trama;

- Auto-retrato de Cachinhos dourado (peneiras).

Recebimento da carta de Cachinhos dourado. Análise da carta (intencionalidade e estrutura).

Reescrita da carta de “Cachinhos Dourado” – coletivo
2.Roda de leitura: João e Maria – abandono doces reféns bruxa arrependimento

- Identificação da ideia principal e do que os alunos entenderam.

- Confecção da casa de “João e Maria “ com palitos de picolé e embalagem de doces. (individual)

Entrega do panfleto de propaganda de artigo para bruxa – análise do panfleto e sua estrutura

Criação de um panfleto ( lista de objetos que uma bruxa usa )


3.Roda de leitura: João e o pé de feijão – vaca sementes e moedas roubo

- Identificação da ideia principal e do que os alunos entenderam.

- Trabalhando as diferenças- Construção de um painel com os pés dos alunos e os pés de feijão

Entrega do cartão postal ao gigante – análise do postal ( objetivo e características).

Analisando outros postais / produção coletiva de um postal


4.Roda de leitura: Cinderela – órfão trabalho encanto fada baile sapato principe

- Identificação da ideia principal e do que os alunos entenderam.

- Identificação dos personagens, lugar e tempo, trama

- Desenho dos personagens com identificação dos nomes

Recebimento do ofício para a publicação do livro de
Cinderela

Reconto da história pelos alunos: Cinderela ( coletivo)


5.
Roda de leitura: Chapeuzinho Vermelho –vó mãe neta doce cesta lobo caçador

- Identificação da ideia principal e do que os alunos entenderam;

- Lacunado com trechos da história da Chapeuzinho.

O Carteiro Chegou 
Fim de mês, chega carta de amor
O meu peito dispara, o carteiro chegou
Pra matar saudade dela e acabar com essa dor

É que o bicho ta feio
Não tem telefone, não tem um e-mail
E nem endereço no computador

Eu não tenho dinheiro
Pra comprar passagem, fazer a viagem
Visita surpresa pro meu grande amor

Essa vida na roça
A gente só gosta por ter natureza
E toda a beleza de um amor sem fim

Mas quem sabe um dia
Com sorte eu acerto numa loteria
E trago esse amor pra bem perto de mim 

Entrega da carta ao lobo mau e votação de qual a pena que o lobo deveria cumprir por todas as maldades cometidas;

-Escrita do endereçamento do envelope de uma carta.

Entrega do cartão de aniversário para Chapeuzinho Vermelho. Confecção do cartão de aniversário.

Confecção coletiva de uma carta e envelope.

A avaliação da atividade proposta se dá ao constatar se a criança ampliou sua capacidade de reconhecer as possíveis funções de uma carta, como forma de linguagem em nossa sociedade. Além disso, deve-se avaliar a criatividade e desenvolvimento de idéias, coerência desenvolvida na produção escrita, desde a primeira versão até a final. Valorize este processo, busque constatar as evoluções do aluno a cada revisão.

A avaliação é processual e contínua, devendo ser realizada oral e coletivamente, enfocando a dinâmica do grupo, identificando avanços e dificuldades. O desempenho dos alunos durante as discussões,  a realização das tarefas, a produção das cartas e dos bilhetes, a discussão das questões apresentadas pelo educador, somadas às intervenções dele, a auto-avaliação do aluno serão elementos essenciais para verificar se as competências previstas para a aula foram ou não desenvolvidas pelos alunos.
Elaboração dos materiais.
Organização das salas.
Mostra de Leitura.



5 comentários:

  1. Parabéns, gostei muito das idéias, do conteúdo, vai ajudar muito no meu estágio. Obrigada

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Lu!
    Você tem esse livro "O natal do carteiro"?

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo projeto! Estou realizando com meus alunos!!! ♡

    ResponderExcluir

Adoro ler seu comentário! Beijos!

Eu sou Lúcia Martinelli

Minha foto

Eu sou Lúcia Martinelli, nasci em 28.06. Sou filha de Cândido Martinelli e Maria Grando, estudei em Passo Fundo RS, nas escolas Alfredo Pujol, Notre Dame, Joaquim Fagundes dos Reis e Cursei o 2º grau no Colégio Bom Conselho e o ensino superior na Universidade de Passo Fundo e fiz Pós –Graduação em Alfabetização Construtivista na UPF com o GEEMPA e conclui 1989. Hoje moro em Balneário Camboriú e estou fazendo todas as leituras que gostaria de ter feito e não tinha tempo para faze-las. Estou amando!

 

Trabalhei na Faculdade de Odontologia da UPF e fui secretária e auxiliar odontológico.

Exerci a função do magistério na rede particular de ensino, no Colégio Notre Dame por onde me aposentei e na rede municipal nas escolas Vidal Colussi, Fundação Educacional do Menor, UPF em Assessoramento Construtivista, Notre Dame Municipal e Antonino Xavier, onde me aposentei. Aleluia!!!

Trabalhei em turmas pela ordem dos acontecimentos: multiseriada (de pré a 4ª série) todos na mesma sala, Jardim, Pré, 1ª série, 2ª série, 2º ano, 3ª série, 4ª série, 5ª série e 1º ano do 2º grau.

Sou professora por opção porque adoro o ato de ensinar e aprender, o convivio com as crianças sentir a mundança e o crescimento acontecendo no dia a dia, ser o elo mediador entre aluno e conhecimento desafiando e apoiando para que o processo de aprendizagem aconteça o mais rápido possível. A experiência da alfabetização é algo indiscritível, só experimentando para saber a delicia da magia que é “o ver acontecer”.

 

A educação é um processo contínuo que toma o homem sobre sua responsabilidade desde a infância até a morte.

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI
ATIVIDADES E PROJETOS