10.5.13

PROJETO A MARGARIDA FRIORENTA



Projeto
A MargaridaFriorenta

Pólo: Tempo Integral
Professora Lúcia Martinelli
Sequência Didática
Gênero : Literatura
Temas: Boa ação, bondade, amizade, carinho, caridade, respeito, afeto, amor às plantas, a dinâmica da natureza.
Turma a que se destina: 2º ano
Duração da atividade: 2 semanas ou mais
Objetivos:
*    Estabelecer a importância da linguagem visual na comunicação;
*    Despertar e estimular no aluno as virtudes do amor, da justiça e da caridade, levando-os à compreensão de que as pessoas, afinal, não sobrevivem sem elas;
*     Perceber através das atividades vivenciadas a importância da afetividade sincera na vida de cada ser humano.
*    Incentivar a prática de leitura de livros de literatura infantil.
*    Desenvolver a linguagem oral, através da exposição de ideias sobre a história.
*    Desenvolver a coordenação motora fina, através da confecção de flores de papel e material alternativo (copo descartável) e dobraduas.
*    Estimular o reconhecimento de atitudes de amizade, companheirismo, afetividade e solidariedade, conquistados através de gestos simples.
*    Compreender a sequência lógica dos fatos relacionados à históriae em números.
*    Estar inserido no processo de alfabetização e letramento.
*    Desenvolver o senso ético.
*    Demonstrar que todo ser vivo, precisa de cuidados especiais e carinho para viver.
*    Identificar seres vivos e não vivos;
*    Experienciar o processo da germinação da semente;
*    Observar que o tempo e a temperatura muda de três em três meses e identificar cada uma das estações do ano;

*    Avaliação:
*    Durante o desenvolvimento do projeto o professor terá a oportunidade de:
*    Avaliar se os alunos compreenderam a sequência dos fatos ocorridos na história.
*    Analisar a coerência, coesão e evolução da escrita do aluno ao reproduzir o final da história.
*    Observar a participação das crianças durante o trabalho em grupo.
*    Registrar as dificuldades ortográficas apresentadas pelos alunos ao produzirem palavras.
*    Perceber os sentimentos expostos pelos alunos para que sejam trabalhados posteriormente.

Referências:
Outras referêrencias para a estratégia:
*ALMEIDA,Fernanda Lopes.A Margarida Friorenta.São Paulo:Ática,2007

Sistematização metacognitiva e metalinguística:

Ateliê das Letras
Apresentar o Livro;
Contar a história com personagens (margarida, borboleta, cachorro, boneca e caixa da sapato;
Passar a história no datashow;
Interpretação oral da história;
Identificar no texto o que é:
 seres vivos (cachorro, planta, menina, borboleta)
não vivos (boneca, caixa, roupas)
Sentimentos (amizade, compaixão, ajuda, solidariedade, recompensa)
Oralidade sobre valores;
fatores climáticos (frio, calor, dia e noite)
Estações do ano-vestir a Margarida de acordo com cada estação;
Plantio, observação e registro da germinação em garrafas pet;
Representação de expressões faciais de diversos sentimentos;
Escrever características nas pétalas e colocar na água com música de fundo;
Amigo oculto;
Sequência da história;
História em quadrinhos;
Produção textual;
Liste o que você colou para compor seu quarto;

Ateliê das Artes
Música: A Margarida;
Harmonização: Música sons da natureza;
Brincadeira de roda: A Margarida;
Dobradura da Margarida;
Desenho livre sobre a História;
Escolher uma prenda para o colega e depois informa-se que é pra si próprio e não para o amigo;
Organizar o jardim da amizade;
Criar personagens com folhas secas;
Confeccionar a Margarida com revista;
Confeccionar a Borboleta no rolo de papel higienico, dobradura ou celofani;

Ateliê dos Números
Número de páginas do livro;
Por que os algarismos são representados por esses sinais gráficos?
Confecção da Margarida comprando pétalas (Sistema monetário – questionar sobre dinheiro, escambo, banco...)
Situações matemáticas com sementes, margaridas, pétalas, biscoitos, palitos, borboletas, cachorro (patas);
Numerais pares (asas, caixa de sapatos, )
Montar jogo da velha (com caixas)
Monte o seu quarto (utilizando encartes) e colagens como você gostaria que ele fosse;

SEQUÊNCIA DIDÁTICA
A professora deverá apresentar o livro "A Margarida Friorenta” às crianças explorando bem a capa e o título do livro através de perguntas como:
 O que estão vendo?
 O que acham que vai acontecer nessa história?
 Quem sabe o que significa a palavra “friorenta”?
 Explicar que vamos descobrir as respostas durante a leitura do livro. '
Deixar que as crianças manuseiem o livro livremente interagindo com as gravuras e o texto.
-Contar a história utilizando recursos adaptados: uma margarida, uma borboleta de nylon amarelo, uma boneca, cachorro de pelúcia, caixa de sapato.
Em seguida, a professora deverá fazer a leitura do livro ou apresentar no datashow para a turma.
A MARGARIDA FRIORENTA



 
Era uma vez uma Margarida num jardim.

Quando ficou de noite, a Margarida começou a tremer.

Aí, passou a Borboleta Azul.

A Borboleta parou de voar.

 

- Por que você está tremendo?

- Frio!

- Oh! É horrível ficar com frio! E logo numa noite tão escura!

A Margarida deu uma espiada na noite.

E se encolheu nas suas folhas.

A Borboleta teve uma ideia:

- Espere um pouco!

E voou para o quarto da Ana Maria.


 

_ Psiu! Acorde!

- An! É você, Borboleta? Como vai?

- Eu vou bem. Mas a Margarida vai mal.

- O que é que ela tem?

- Frio, coitada!

- Então já sei o remédio. É trazer a Margarida pro meu quarto!

- Vou trazer já!

A Borboleta pediu ao cachorro Moleque:



- Você leva esse vaso pro quarto da Ana Maria?

Moleque era muito inteligente.

E levou o vaso muito bem.


Ana Maria abriu a porta para eles.

E deu um biscoito ao moleque.

A Margarida ficou na mesa de cabeceira.
  
Ana Maria se deitou.
  
Mas ouviu um barulhinho.
   
Era o vaso balançando.
 A Margarida estava tremendo.

- Que é isso?

- Frio!

-Ainda? Então já sei! Vou arranjar um casaquinho pra você.  

Ana Maria tirou o casaquinho da boneca.  

Porque a boneca não estava com frio nenhum.
 
E vestiu o casaquinho na Margarida.
 
- Agora você está bem. Durma e sonhe com os anjos.

     

Mas quem sonhou com os anjos foi Ana Maria.

A Margarida continuou a tremer.

Ana Maria acordou com o barulhinho.

- Outra vez? Então já sei. Vou arranjar uma casa pra você!



E Ana Maria arranjou uma casa para a Margarida.

Mas quando ia adormecendo ouviu outro barulhinho.

Era a Margarida tremendo.

Então Ana Maria descobriu tudo.

Foi lá e deu um beijo na Margarida.

A Margarida parou de tremer.

E dormiram muito bem a noite toda.

No dia seguinte Ana Maria disse para a Borboleta Azul:

_ Sabe, Borboleta? O frio da Margarida não era frio de casaco não!

E a Borboleta respondeu:


_ Ah! Entendi!

Autora: Fernanda Lopes de Almeida

-Indagar, ao final da história, de que “frio” a margarida padecia;
-Iniciar um diálogo propondo a ideia de que, nem tudo na vida é resolvido com coisas materiais (casaco, cachecol, casinha), e que de vez em quando podemos sentir falta de coisas imateriais (atenção, carinho, amor, reconhecimento, afeto, companhia);
-Solicitar ao aluno que abrace o coleguinha ao lado, num gesto de carinho e atenção;
-Realizar o "Jogo da Crueldade" (pede-se que cada criança diga uma prenda para alguém do grupo realizar e a prof. escreve, e então diz-se que houve um engano com as regras, pois quem deverá realizar a tarefa é quem a propôs.);
-Discutir o que podemos aprender com esse jogo: "Não fazer aos outros o que não queremos que nos façam" (ou "Fazer aos outros o que gostaríamos que fizessem por nós”);
-Intensificar o diálogo sobre o tema caridade.
-Depois disso, desenhar um coração ou uma margarida gigante num papel pardo e escrver coisas boas dentro e coisa não boas fora.

NAS TAMPINHAS MARGARIDAS E BORBOLETAS




 



Após contar a história Margarida Friorenta, o professor apresenta às crianças todos os materiais e vai questionando o que poderiam fazer com todos aqueles objetos.
Inicia-se o jogo, distribuindo-se um miolo e um palito de picolé (que servirá de caule) para cada criança.
O professor explica que a flor será composta de 5,6,7 pétalas e, então, pede para que cada criança pegue cinco, seis... moedas que servirão para comprar as pétalas no decorrer do jogo.
Na sua vez, cada criança joga o dado, trocando uma moeda por uma pétala, conforme a indicação do dado da quantidade, até ter o número suficiente de pétalas para formar  a flor. A flor também pode ter uma pétala de cada cor.
O aluno irá colar seu material em uma folha, ou numa caixinha, ou num fundo de pet, formando a Margarida Friorenta da história.

Pode ser feito um questionamento final para o grupo. Quantas moedas tinham no início?

O objetivo é que a criança estabeleça a relação número de pétalas/número de moedas.
As flores confeccionadas poderão formar um painel intitulado: Jardim do coração.

Confeccionar a Margarida
Materiais:
  • Pétalas de florescompradas pelas crianças em papel em 6 cores diferentes ou não;
  • miolos (circulos de papel amarelo)
  • moedas de plástico
  • dados
  • palitos de picolé para o caule
MÚSICA: A MARGARIDA (melodia de Ciranda Cirandinha)
Usando nas meninas as flores que a escola já tem para cantar;
A linda margarida
Estava morrendo de frio
Ganhou roupa e casinha
Mesmo assim, não sorriu

A menina Ana Maria
Logo, logo descobriu
Deu um beijo na florzinha
Que contente então sorriu!


PARA BRINCAR: Margarida  (usar flores que a escola tem feita)

(A Margarida fica no centro da roda e outra, fora da roda, canta:)
Onde está a Margarida? Olê, olê, olá
Onde está a Margarida?
Olê, seus cavalheiros
(Todos da roda cantam:)
Ela está em seu castelo Olê, olê, olá
Ela está em seu castelo
Olê, seus cavalheiros (A menina do lado de fora canta:)
Eu queria vê-la Olê, olê, olá
Eu queria vê-la
Olê, seus cavalheiros
(Todos da roda:)
Mas o muro é muito alto Olê, olê, olá
Mas o muro é muito alto
Olê, seus cavalheiros A menina de fora tira alguém da roda e canta:)
Tirando uma pedra Olê, olê, olá
Tirando uma pedra
(bola de papel)
Olê, seus cavalheiros
(Todos da roda:)
Uma pedra não faz falta Olê, olê, olá
Uma pedra não faz falta
Olê, seus cavalheiros A menina de fora vai tirando um por um da roda e, a cada "pedra" retirada, as crianças da roda cantam: "...duas pedras não faz falta, três pedras...", até sair a última. Quando ficar só a Margarida, todos cantam:)


     Harmonização: música (sons da natureza) CD
     Conversar sobre as percepções ( o que sentiu) durante a harmonização.

Dobradura da Margarida

 
 

Canto Grupal: Músicas que falem de amor, amizade.

1. Em sala, os alunos recebem uma flor (recortar antes se as crianças forem muito pequenas).
2. Realiza-se um sorteio (tipo amigo oculto).
3.Eles deverão escrever ou desenhar uma mensagem de afeto, elogio, carinho, ...
4. Dobra as pétadas da flor sobrepondo uma sobre a outra até fechar toda a flor.
5. Revela-se o amigo oculto, num clima de amizade e descontração.
6. Em seguida os alunos colocam a flor na água, suavemente, sem mergulhar e a flor se abre revelando a mensagem.
7. Os alunos podem pregar a flor numa folha e fazer desenhos, colar no mural, etc.




Fazer a avaliação da atividade, comentando os valores envolvidos, os sentimentos e percepções dos alunos com vistas a mudanças de atitudes.

EXPRESSANDO SENTIMENTOS
Desenhe você nas diversas formas de expressar sentimentos como:












FELIZ

TRISTE

ASSUSTADO

ZANGADO









SÉRIO

PREOCUPADO

PENSATIVO

CANTANDO









SONOLENTO

GRIPADO

MENTINDO

SONHANDO









GRITANDO

ADMIRANDO

XINGANDO

OBSERVANDO

Por que representamos os numerais de 1 a 9 desta forma?
Veja como eram escritos os algarismos na sua forma primitiva e constate!
É a quantidade de ângulos que o algarismo possui:



E o mais interessante e inteligente de todos é o 0 = 0 ângulos.
Nunca é tarde para aprender.
Vamos vestir a Margarida com diversas peças de roupa de acordo com as estações do ano:

Coloque em ordem os aconteciementos da história numerando os quadrinhos de 1 a 4:
(  )Ana Maria deu um beijo na Margarida.
(  )Ana Maria arranjou uma casa para Margarida.
(  )O cachorro levou o vaso da Margarida para casa de Ana Maria.
(  )Ana Maria deu um casaquinho para a Margarida.

Produção textual:
A Margarida estava com frio... conte com suas palavras como o problema da Maragarida foi resolvido:
......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
Muito interessante, as crianças podem ilustrar as páginas do livrinho de várias formas, basta soltar a imaginação... 
♫ Onde está a Margarida, olê...olê... olá...♫









Sugiro também o uso da musiquinha"Apareceu a Margarida".

" O livro edificante vacina a mente infantil  contra o mal" 
(André Luiz)
"Quando você ensina, transmite.
Quando você educa, disciplina.
Mas, quando você evangeliza, SALVA."
Amélia Rodrigues


Um comentário:

Adoro ler seu comentário! Beijos!

Eu sou Lúcia Martinelli

Minha foto

Eu sou Lúcia Martinelli, nasci em 28.06. Sou filha de Cândido Martinelli e Maria Grando, estudei em Passo Fundo RS, nas escolas Alfredo Pujol, Notre Dame, Joaquim Fagundes dos Reis e Cursei o 2º grau no Colégio Bom Conselho e o ensino superior na Universidade de Passo Fundo e fiz Pós –Graduação em Alfabetização Construtivista na UPF com o GEEMPA e conclui 1989. Hoje moro em Balneário Camboriú e estou fazendo todas as leituras que gostaria de ter feito e não tinha tempo para faze-las. Estou amando!

 

Trabalhei na Faculdade de Odontologia da UPF e fui secretária e auxiliar odontológico.

Exerci a função do magistério na rede particular de ensino, no Colégio Notre Dame por onde me aposentei e na rede municipal nas escolas Vidal Colussi, Fundação Educacional do Menor, UPF em Assessoramento Construtivista, Notre Dame Municipal e Antonino Xavier, onde me aposentei. Aleluia!!!

Trabalhei em turmas pela ordem dos acontecimentos: multiseriada (de pré a 4ª série) todos na mesma sala, Jardim, Pré, 1ª série, 2ª série, 2º ano, 3ª série, 4ª série, 5ª série e 1º ano do 2º grau.

Sou professora por opção porque adoro o ato de ensinar e aprender, o convivio com as crianças sentir a mundança e o crescimento acontecendo no dia a dia, ser o elo mediador entre aluno e conhecimento desafiando e apoiando para que o processo de aprendizagem aconteça o mais rápido possível. A experiência da alfabetização é algo indiscritível, só experimentando para saber a delicia da magia que é “o ver acontecer”.

 

A educação é um processo contínuo que toma o homem sobre sua responsabilidade desde a infância até a morte.

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI

PROFESSORA LUCIA MARTINELLI
ATIVIDADES E PROJETOS